Gerais
0

Adeus e até Istambul!

19º Congresso Europeu da WONCA chega ao fim

Encerrou o 19º Congresso Europeu da WONCA e os participantes regressam a casa com muita e boa ciência na bagagem, para além de excelentes memórias de Lisboa, certamente já com os olhos postos na 20ª edição do evento major da WONCA Europa, programada para Istambul, em 2015.

No fecho da iniciativa, o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar e do Congresso agradeceu aos participantes e reconheceu o seu mérito: “se este foi um congresso de sucesso, tal deveu-se em grande medida a vós, os congressistas, pelo vosso empenhamento nas sessões e nas atividades científicas”. Aquele dirigente sublinhou também os números impressionantes da iniciativa, nomeadamente os mais de 3700 participantes, as 202 sessões, 445 comunicações e mais de 1000 pósteres expostos.


     


Já o presidente da WONCA Europa, Job Metsemakers, sublinhou a substancial participação de internos da especialidade e jovens médicos de família e teve a oportunidade de deixar um agradecimento ao Conselho Europeu do Movimento Vasco da Gama, que cessou funções e passou o testemunho a um novo corpo diretivo em Lisboa. Metsemakers reforçou, ainda, a importância e o carácter único dos médicos de família no contexto dos sistemas de saúde: “continuamos a ter uma vocação generalista, mas somos em simultâneo especialistas da complexidade”.

     

A cerimónia de encerramento foi igualmente palco para a entrega de várias bolsas e prémios associados à WONCA Europa. O Hippokrates Prize foi entregue a Solveig Carmienke (Alemanha), o prémio Claudio Carosino a Gemma Rovira Marcelino (Espanha) e os Junior Reseacher Awards a Daniel Pinto (Portugal) – finalista vencedor – Sam Creavin (Inglaterra) e Danielle Divilly (Irlanda) – finalistas. O Montegut Scholars Award ficou com a médica albanesa Eralda Turkeshi e o 5-Star Doctor Award com a médica eslovena Antonja Doplas Susic.

Congresso aplaude de pé Richard Roberts

O antigo presidente da WONCA Mundial, Richard Roberts, voltou a Portugal, onde no passado já tivera a oportunidade de oferecer aos colegas portugueses brilhantes apresentações. A adesão em Lisboa foi de novo arrebatadora, com o MF norte-americano a receber uma longa ovação no final da sua palestra. Roberts voltou a trazer casos tocantes de MF que, um pouco por todo o mundo, ultrapassam enormes desafios para corresponder às necessidades dos seus doentes.


     


Em perfeito alinhamento com um dos temas fortes deste congresso, a prevenção quaternária, Richard Roberts deixou um curioso alerta, após apontar vários estudos que revelam o mal que médicos demasiado concentrados em guidelines e procedimentos técnicos podem provocar nas pessoas que os procuram: “deixo-vos um conselho e uma ideia porventura radical; talvez devamos fazer menos, para alcançar mais”. O ex-presidente da WONCA Mundial explicou que os médicos de família devem “deixar sempre o doente, após o encontro, com esperança” e terminou com palavras que clarificam a única via para a realização pessoal e profissional dos MF: “podemos falar de dinheiro e de recursos, que são coisas importantes. Mas o que importa mais, na realidade, é o vosso empenhamento e compromisso com o doente. Porque é isso que vos trará compensação e alegria”.

Leia Também

Prazo de inscrição para autores de trabalhos termina a 30 de abril!

Auditório recebe o nome de António Arnaut

Marcelo pede Lei de Bases da Saúde flexível do ponto de vista organizacional

Recentes

Menu