Gerais
0

Arte e Medicina em sincronia

Inauguração do 19º Congresso Europeu de MGF

Trabalho de equipa e esforço integrado. É esse o caminho para a frente, tanto na Arte como na Medicina. Esta foi uma das ideias dominantes da sessão de abertura do 19º Congresso Europeu de Medicina Geral e Familiar – WONCA Europa 2014. Vamos então trabalhar juntos e unir as nossas ideias, durante os próximos dias, de forma a valorizar a Medicina Geral e Familiar…
 
Pouco antes da brilhante conferência de abertura de Joana Carneiro (diretora musical da Orquestra Sinfónica de Berkeley e maestrina convidada da Orquestra Gulbenkian) e da atuação da Orquestra Metropolitana de Lisboa, os participantes no 19º Congresso Europeu de Medicina Geral e Familiar foram surpreendidos com um momento artístico (cortesia de acrobatas e de uma acordeonista que também pertence à comissão científica). Seguidamente, os líderes nacionais e internacionais do setor da Saúde, nomeadamente o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) e presidente do Congresso, João Sequeira Carlos, e o presidente da WONCA Europa (Job Metsemakers), tomaram da palavra.  

     

João Sequeira Carlos lembrou a importância deste Congresso, que reúne médicos de todas as origens: “na era da comunicação global, reuniões físicas como esta são mais importantes do que nunca”. O presidente do 19º Congresso realçou também o facto da Medicina Geral e Familiar ser o fundamento de todos os sistemas de saúde eficientes: “todos sabemos que quanto mais um sistema de saúde se baseia nos cuidados de saúde primários, melhores resultados obtém”.

Job Metsemakers ficou particularmente surpreendido com a participação da nova geração de médicos de família: “em cerca de 3400 congressistas, mais de mil são internos. Isso é certamente notável!”.

     

O secretário de Estado da Saúde, Fernando Leal da Costa, foi ainda mais entusiástico: “este é um dos melhores momentos da medicina portuguesa”. A cerimónia de abertura passou então a ser conduzida por Joana Carneiro, que de forma teatral chamou o paciente/ compositor Robert Schumann, reencarnado na Orquestra Metropolitana de Lisboa, para “tratar” uma das suas mais extraordinárias obras musicais.

Leia Também

Novo plano de cuidados integrados na área da bexiga hiperativa

Projeto Beta apresentado em Braga

In memoriam

Recentes

Menu