Política de saúde
0

Fundador do ICBAS e amigo da MGF morre aos 80 anos

Nuno Grande (1932-2012)

Nuno Grande faleceu ontem, aos 80 anos, no Porto. Fundador do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, o médico, investigador e professor distinguiu-se na oposição à ditadura. Nuno Grande morreu de complicações cardiovasculares e neurológicas. O funeral realiza-se amanhã de manhã no cemitério de Matosinhos
 
O fundador do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), Nuno Grande, morreu ontem, aos 80 anos, vítima de complicações cardiovasculares e neurológicas. Natural de Vila Real, Nuno Lídio Pinto Rodrigues Grande formou-se em Medicina pela Universidade do Porto, com 19 valores, onde também se doutorou, em 1965, com a mesma classificação.
Enquanto militar, prestou serviço na antiga colónia de Angola, ficando ligado ao ensino da Medicina em Luanda. Foi mobilizado pelo Exército e colocado no Hospital Militar de Luanda. Foi 1º Assistente da Universidade de Luanda e foi Encarregado do Centro de Estudos de Medicina Experimental do Instituto de Investigação Científica de Angola. Na Universidade de Luanda, regeu as cadeiras de Anatomia Topográfica e de Histologia, orientando, também, Anatomia Descritiva e Biologia. Em 1970, pela extensão a Angola da jurisdição da Ordem dos Médicos, Nuno Grande, apesar de estar a viver na então colónia há menos de cinco anos, foi eleito pelos colegas presidente do Conselho Regional da Ordem dos Médicos. Exerceu igualmente as funções de director da Faculdade de Medicina e de vice-reitor da Universidade de Luanda.
Em 1974, regressou a Portugal, tendo, em 1975, juntamente com personalidade médicas como Corino de Andrade, fundado o ICBAS. Nesta escola médica, em que foi regente da cadeira de Anatomia Sistemática realizou trabalhos inéditos de repercussão internacional.
Nuno Grande tornou-se membro do Painel de Conselheiros do Comité Científico da NATO, em 1989, e dirigiu a Comissão de Gestão do Instituto Nacional de Engenharia. Foi condecorado pelo Governo Português com o grande oficialato da Ordem da Instrução. No plano político, destacou-se como mandatário nacional da candidatura de Maria de Lurdes Pintassilgo à Presidência da República, em 1985. É cidadão de mérito das Câmaras do Porto, Vila Real, Ribeira de Pena, Vila Pouca de Aguiar, Boticas, Santa Marta de Penaguião e Montalegre.
Para além de médico, professor e investigador, foi um cidadão dedicado à política e à cultura, bem como um grande impulsionador da Medicina Geral e Familiar tendo estado ligado ao desenvolvimento de um programa apoiado pelo Governo norueguês que permitiu construir vários centros de saúde no distrito de Vila Real, onde nasceu. O actual director do ICBAS, António Sousa Pereira, descreve-o como o “ideólogo” e a “força motriz” do instituto.
O funeral de Nuno Grande realiza-se amanhã, pelas 11 horas, na Igreja do Foco, no Porto, seguindo para o cemitério de Matosinhos.

Leia Também

Declaração de Astana substitui a de Alma-Ata e reforça papel dos cuidados de saúde primários

USF-AN apela a novo ciclo para a reforma dos CSP

Comunicado

Recentes

Menu