Política de saúde
0

Médicos manifestam-se em frente ao Ministério da Saúde

Protestos adensam-se

Largas centenas de médicos concentraram-se ontem (dia 8 de julho) em frente ao Ministério da Saúde, para um protesto associado à greve nacional da classe e contra as políticas implementadas no SNS. A manifestação, que encheu de batas brancas a Avenida João Crisóstomo em Lisboa, foi organizada pela Federação Nacional dos Médicos (FNAM), também responsável pela convocação da greve de 8 e 9 de julho.

     

No protesto participaram, para além de dirigentes dos vários organismos médicos que apoiaram a greve (Ordem dos Médicos – OM -, Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar – APMGF -, Associação Nacional de Unidades de Saúde Familiar, Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, etc.), representantes de vários partidos políticos da oposição e membros de associações de utentes e de cidadãos, que decidiram juntar- se à iniciativa, durante a qual se chegaram a ouvir pedidos de demissão dirigidos a Paulo Macedo.

     

José Manuel Silva, bastonário da OM, foi uma das figuras presentes no protesto organizado pela FNAM. Ao microfone e em tom de voz bem audível (para que pudesse ser entendido no interior dos gabinetes) solicitou aos dirigentes do MS que lessem cuidadosamente o estatuto da OM e garantiu que embora não caiba àquela organização convocar greves, pode e deve apoiar ações de protesto, sempre que estas defendam a qualidade da boa prática médica e dos cuidados de saúde oferecidos aos cidadãos.

     

O vice-presidente da APMGF, Rui Nogueira, foi outro dos porta-vozes de organizações médicas que subiu ao palco para se dirigir aos manifestantes. Na ocasião, o dirigente associativo acusou o governo de desonestidade política, ao prometer responder à carência de médicos em Portugal com a contratação de clínicos no estrangeiro, quando tarda em colocar jovens especialistas recém-formados no terreno, assim como colegas que se aposentaram sem vontade de o fazer e que estariam dispostos a regressar ao SNS de imediato, mediante condições aceitáveis.

Leia Também

Fundador do ICBAS e amigo da MGF morre aos 80 anos

Cada ACeS deverá ter uma consulta multidisciplinar de atividade física

António Arnaut vai receber título de doutor “honoris causa”

Recentes

Menu