FormaçãoGerais
0

Orientadores de formação em MGF acertam agulhas

1º “Open Day” do Orientador na ARSLVT

A Coordenação do Internato de Medicina Geral e Familiar na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) organizou no passado dia 16 de fevereiro o 1º Open Day do Orientador, no auditório do Centro de Saúde de Sete Rios.

A iniciativa reuniu cerca de 120 orientadores de formação em Medicina Geral e Familiar (MGF) de LVT, que durante a jornada de trabalho tiveram a oportunidade de assistir a duas conferências, a primeira proferida por Fátima Fonseca (Diretora Municipal de Recursos Humanos da Câmara Municipal de Lisboa), intitulada “Liderar Pessoas para um Melhor Desempenho” e a segunda partilhada por Carlos Caeiro Carapeto (ARSLVT), subordinada ao tema “Conhecimento e Inovação: O Poder das Ideias Simples”.

Durante parte do dia, os participantes foram também divididos por cinco workshop, nos quais se debateram assuntos prementes para o aperfeiçoamento da função de orientador: OSCE (Observed Structured Clinical Examination)/Estações Clínicas, como construir perguntas de escolha múltipla, “questioning”, gestão do conhecimento em equipa e avaliação do desempenho a 360º.

De acordo com Isabel Santos, coordenadora do Internato de Medicina Geral e Familiar na ARSLVT, este “Open Day” representou uma excelente oportunidade para “benchmarking, uma vez que várias comunidades de orientadores trouxeram para este encontro a sua experiência, no sentido de a disseminar. Procurámos também aqui desenhar um terreno comum e criar um espaço formativo, já que os orientadores de formação precisam de se desenvolver na sua missão”. A mesma responsável recorda que a Coordenação do Internato de MGF em LVT não é feita só por um coordenador ou pelas direções de internato, mas sim por todos quantos estão envolvidos na formação pós-graduada, pelo que é fundamental apostar em iniciativas como esta para “colocar o comboio em movimento”.

Segundo Isabel Santos, o evento agora promovido vem contribuir para “juntar os nós de uma rede” já existente, erigida com base em múltiplas comunidades formativas e que tem como expressão visível as Equipas Integradas de Orientadores (EIO). Na perspetiva da coordenadora do Internato de MGF em LVT, apesar de estas EIO existirem e estarem ativas em todos os ACeS da região, a verdade é que foram “criadas como um espaço de discussão formativa para os orientadores e acabaram por se transformar, em muitos casos, espaços de dinamização dos internos”. Assim, iniciativas como o “Open Day” podem ajudar a resgatar em parte este espírito de contínua reflexão sobre aspetos formativos que presidia ao conceito original das EIO.

Leia Também

Capacitação na contraceção intrauterina ao nível dos CSP

Marta Temido considera urgente a revisão do modelo remuneratório das USF

Prevenção e tratamento da osteoporose não podem passar despercebidos

Recentes

Menu