Gerais
0

Trabalhos decorrem sob o signo da positividade

XXVIII Jornadas de Coimbra da APMGF

As unidades de saúde familiar (USF) são um modelo positivo para o futuro, defendeu José Luís Biscaia na  mesa redonda “MGF positiva”, das 28ªs Jornadas de Coimbra da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), a decorrer no Biocant Park, em Cantanhede.
 
De acordo com o médico de família e coordenador da USF S. Julião da Figueira, as USF são organizações “inteligentes”, não só pela forma como fazem a gestão do conhecimento, como pela sua capacidade de renovação, melhoria sustentada e inclusão.
Moderada por Inês Rosendo, a sessão contou ainda com a participação de Carlos Fiolhais, na dupla qualidade de utente da USF Topázio e professor de Física da Universidade de Coimbra. O catedrático alertou para o facto de os cidadãos estarem cada vez mais informados sobre questões relacionadas com a sua saúde, o que representa um verdadeiro desafio para os médicos de família. Já na sua qualidade de físico, sublinhou a contribuição desta disciplina para o desenvolvimento da Medicina. Centrando-se na sequenciação do genoma humano que, na sua opinião, constitui “a maior realização da nossa época”, sublinhou o seu potencial em termos de prevenção e tratamento das mais diversas patologias.
 
Sempre sob o signo positivo das mensagens transmitidas pelos seus antecessores, a psicóloga e investigadora Catarina Rivero falou sobre “a arte de cuidar positivamente”. Nesse sentido, afirmou que os problemas de saúde e sociais são mais graves em sociedades mais desiguais, ao mesmo tempo que defendeu as organizações positivas, que privilegiam a criatividade e o trabalho em equipa.
 
“Ciência a la carte” decidida nas redes sociais
 
As XXVIII Jornadas de Coimbra da APMGF – cuja inauguração contou com a presença de Fernando Gomes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Fernando Almeida, vice-presidente da ARS Centro e Albino Miguel Pereira, vogal da direção da APMGF – incluem um programa científico muito amplo. Destaca-se especialmente a sessão intitulada “Ciência a la carte”, onde uma série de revisões baseadas na evidência sobre temas sugeridos e selecionados pelos médicos de família e, sobretudo, pelos internos de MGF, nas redes sociais, será comentada por especialistas.
 
Esta metodologia é replicada na mesa redonda intitulada “Sr. Dr., tenho uma dor nos rins” onde, a partir de casos clínicos de lombalgias apresentados por internos, se segue uma discussão interativa de orientação diagnóstica em que participam especialistas dos cuidados primários e secundários.
 
Os trabalhos das XXVIII Jornadas de Coimbra incluem ainda a realização de três workshop sobre situações de emergência em MGF, oftalmologia e menopausa.

Leia Também

GEsPal e GRESP congregam esforços para oferecer workshop e mesa redonda indispensáveis

APMGF associa-se a campanha global para dar a conhecer a neuropatia

João Sequeira Carlos promove WONCA Europa 2014

Recentes

Menu