Política de saúde
0

Mais de 200 profissionais reúnem-se em Valença

19º Encontro de MGF do Alto Minho

O 19º Encontro de Medicina Geral e Familiar (MGF) do Alto Minho arranca já amanhã (6 de junho) em Valença e prolonga-se até ao próximo dia 8. Organizado pela Delegação Distrital de Viana do Castelo da APMGF, com o apoio imprescindível da Câmara Municipal de Valença, o evento abordará temas tão preponderantes para o quotidiano do médico de família (MF) como a necessidade de colocar o doente no centro da decisão, a prevenção quaternária, as novas terapêuticas farmacológicas para a diabetes, a antibioterapia ou o acompanhamento do doente oncológico em MGF. São esperados 220 participantes para esta iniciativa de atualização técnico-científica que há muito ultrapassou as fronteiras regionais do Alto Minho.

“Acreditamos que o programa do Encontro vá ao encontro das expectativas dos colegas presentes e tentámos construir um programa muito prático, que responda às necessidades formativas sentidas pelos pessoas que trabalham na região, à sua vontade de desenvolvimento profissional”, avança Sofia Azevedo, delegada distrital da APMGF em Viana do Castelo e membro das Comissões Organizadora e Científica. De facto, a componente prática do 19º Encontro do Alto Minho é marcante, circunstância comprovada pelos 12 workshops que se vão realizar e que, de acordo com Sofia Azevedo, definem de certa forma uma nova tendência para este encontro anual da MGF: “consideramos que a formação em formato de pequenos grupos e dirigida para a nossa prática clínica é fundamental. Através deste modelo, conseguimos aprofundar melhor conhecimentos em áreas específicas, por comparação com sessões de grande plateia, organizadas por mesas redondas e envolvendo palestras. Daí a nossa forte aposta no formato de workshop. Por outro lado, há que destacar o grande número de internos que manifestam interesse em dinamizarem workshops de autor, os quais se vêm juntar àqueles que são preparados pela organização. Com os dois tipos de workshops (de autor e promovidos pela organização) é possível dar uma resposta muito abrangente em termos de formação prática”.

Visões «externas» à saúde podem trazer algo de novo e inspirador

São muitos os potenciais pontos de interesse dos programas cientifico e social do Encontro do Alto Minho, mas a responsável da Comissão Organizadora destaca a presença em Valença de António Teixeira Rodrigues (presidente da Comissão “Barreiras aos Cuidados de Saúde” – Health Parliament Portugal) e de João Marques Gomes (presidente da Comissão “O doente no centro da decisão” – Health Parliament Portugal), respetivamente conferencista de abertura e de encerramento da iniciativa, que abordarão duas matérias vitais no presente, a saber: as barreiras no acesso aos cuidados de saúde e a importância de colocar o doente no centro da decisão. “Dirigimos ao Health Parliament Portugal o convite para realizar estas conferências e, de facto, são estas as sessões que me despertam neste momento maior curiosidade. É importante perceber que opiniões têm estas pessoas sobre temas tão relevantes quanto o acesso a cuidados e a centralidade do doente no sistema, encontrar a visão de alguém que tem interesse claro nesta área da saúde mas que não está associado à prestação de cuidados”, frisa Sofia Azevedo.

Valença tem ótimas condições para acolher o Encontro do Alto Minho

Tal como tem sido tradição, este ano o Encontro do Alto Minho ruma a paragens diferentes das do ano transato, numa política assumida de rotatividade pelos concelhos do distrito de Viana do Castelo. Embora em Valença a capacidade hoteleira tenha suscitado alguns desafios (os hotéis não abundam e forçam a uma maior dispersão dos participantes), as condições oferecidas pelo Centro de Investigação e Logística de Valença, local onde se realiza o encontro, são excelentes, garante a delegada distrital da APMGF: “neste momento, o encontro tem já uma dimensão significativa, o que por vezes nos cria algumas dificuldades de espaço e logísticas, em certas localidades do Alto Minho. Em Valença, contamos com um espaço novo, pertencente ao Instituto Politécnico de Viana do Castelo – IPVC – inaugurado há pouco mais de um ano. Trata- se de uma infraestrutura extraordinária, com anfiteatros, salas de apoio e um auditório grande. Isto permite-nos receber as pessoas com excelentes condições”.

Cerca de uma centena de pósteres e comunicações orais comprovam valia científica do evento

A organização aceitou perto de 50 pósteres e igual número de comunicações orais para apresentação em Valença, nas categorias de investigação, relatos de caso, revisão de temas, avaliação e melhoria contínua da qualidade e relatos de prática. “Esta seleção resultou da avaliação da qualidade dos resumos enviadas e também, como é óbvio, da capacidade que temos para apresentação dos trabalhos”, explica Sofia Azevedo.

Leia Também

COPPT acusa lobistas do tabaco de interferirem ilicitamente na nova lei

APMGF discorda de limites impostos à abertura de USF

GESI assinala Dia do Idoso

Recentes

Menu