Gerais
0

Acta Médica Portuguesa reforça reconhecimento

Revista publicada pela OM conhece subida do Fator de Impacto

A Acta Médica Portuguesa (AMP), revista científica publicada pela Ordem dos Médicos (OM), registou em 2017 a subida do Fator de Impacto de 0,498 para 0,581. O Fator de Impacto é o instrumento utilizado na comparação de revistas científicas que avalia a importância relativa de cada uma de acordo com as citações recebidas pelos artigos publicados. Num total de 154 revistas da mesma categoria – Medicina Geral e Interna –, a AMP posiciona-se em 131º lugar no ranking mundial, sendo a única em Portugal entre as congéneres com Fator de Impacto (desde 2010).

“É uma boa notícia para a Acta Médica Portuguesa e para a OM, pois este é um indicador de reconhecimento mundial, além de reforçar o critério de decisão dos autores na hora de submeterem os seus artigos para publicação”, afirma Tiago Villanueva, editor-chefe da publicação.

A AMP publica-se desde 1979 e é coordenada desde 2017 por Tiago Villanueva, jovem especialista em Medicina Geral e Familiar com larga experiência na edição e publicação médicas. Villanueva trabalhou com o BMJ, sendo atualmente editor-associado deste órgão, que é uma das publicações de Medicina mais conceituadas mundialmente.

O Bastonário da OM, Miguel Guimarães, destaca “a aposta feita pela OM na revista científica AMP, e realça o magnífico trabalho realizado pelas equipas lideradas pelo anterior editor-chefe, Rui Tato Marinho, e pelo atual editor-chefe Tiago Villanueva, que contribuíram de forma inequívoca para a qualidade científica e dimensão social da revista. Na verdade, alguns dos artigos publicados têm marcado também a agenda mediática”. Miguel Guimarães aproveita ainda para “agradecer a todos os autores que têm preferido publicar na AMP”.

Leia Também

A maior participação de sempre

Um arranque auspicioso

Reunião de lançamento do movimento CAPA (Cuidados Adequados à Pessoa com Asma)

Recentes

Menu