Gerais
0

Novo ciclo profissional de esperança arranca no Algarve e Açores

Receção aos internos do 1º ano de MGF

O dia 2 de janeiro de 2019 marcou o arranque das primeiras sessões de receção dos novos internos do 1º ano do internato de Medicina Geral e Familiar (MGF) no país, no caso no Algarve e na Região Autónoma dos Açores. Na região algarvia, treze internos de MGF do concurso para Internato Médico 2018 – Formação Especifica que iniciaram a sua formação este mês foram recebidos na sede da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, numa sessão de receção de boas vindas, com a presença do presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Paulo Morgado, da coordenadora do Internato de MGF do Algarve, Maria Gonzalez Mora e da diretora do Departamento de Saúde Pública e Planeamento da ARS Algarve e presidente da Comissão Regional de Internato Médico do Algarve, Ana Cristina Guerreiro. Os respetivos orientadores também participaram neste importante momento de entronização.

No decorrer da cerimónia, o presidente da ARS Algarve felicitou os novos internos por terem escolhido o Algarve para realizarem o internato e realçou o papel fundamental que a especialidade de MGF assume, atualmente, na prestação de cuidados de saúde.

Na sua intervenção, Paulo Morgado, traçou uma breve perspetiva da evolução dos cuidados de saúde primários na região, nas suas principais áreas de intervenção, destacou a importância da aposta nos cuidados de saúde de proximidade à população, dando alguns exemplos de projetos atualmente em curso na região, nomeadamente, o projeto das dez Unidades de Saúde Móveis de Proximidade (USMP), cuja implementação vai beneficiar os utentes mais idosos, mais vulneráveis e residentes em territórios rurais de baixa densidade e garantir uma prestação de cuidados de saúde de proximidade modernizada junto destas populações algarvias.

A terminar, deixou a garantia de que estes internos terão todo o apoio e acompanhamento necessário durante o percurso formativo que agora iniciam na região, lançando o convite para que no final da sua formação optem por ficar e seguir o seu percurso profissional no Algarve. Dos treze médicos internos de MGF, oito irão realizar a sua formação no ACeS Central, três no ACeS Sotavento e dois no ACeS Barlavento.

Já na Região
Autónoma dos Açores, a receção aos internos do 1ºano de MGF
realizou-se no Centro de Saúde de Ponta Delgada. Naquele arquipélago
foram colocados 13 internos, um na Unidade de Saúde de Ilha do Pico,
três na Unidade de Saúde de Ilha do Faial, três na Unidade de
Saúde de Ilha da Terceira e seis na Unidade de Saúde de Ilha de São
Miguel.

“Foi possível
realizar a reunião por videoconferência com todos, para
apresentação e boas vindas, designação de alguns orientadores,
apresentação do guia do interno e as linhas gerais no novo programa
de formação. O Dr. Rui Nogueira apresentou a APMGF e deu as boas
vindas aos internos.

Encontrei internos
muito motivados por terem a oportunidade de iniciarem a formação na
especialidade em MGF ( ninguém quer desistir!) e também satisfeitos
por estarem colocados nesta coordenação (são quase todos
açorianos)”, explica Gabriela Amaral, coordenadora do internato de
MGF nos Açores.

Aquela dirigente não
nega, contudo, que existem desafios para uma formação de qualidade,
surgindo à cabeça “a dispersão geográfica, com internos
colocados em 5 ilhas, (S. Miguel, Terceira, Faial, Pico e São
Jorge), duas das quais sem hospital, algo que dificulta não só a
comunicação mas também o acesso à formação, embora seja feito
um grande esforço das instituições para minimizar estas
assimetrias”. Ainda assim, Gabriela Amaral está “convicta que
estes internos, na sua maioria, vão optar por fica na Região,
porque é muito gratificante trabalhar cá e eles vão perceber isto
ao longo do seu internato”.

Leia Também

Centros de saúde de LVT vão ter consultas de Oftalmologia a partir de setembro

CSP devem desempenhar um papel central na informação e vacinação

Copenhaga ajuda a forjar a MGF do futuro

Recentes

Menu