Gerais
0

Espaço ibero-americano da Medicina Familiar abre oportunidades e horizontes

36º Encontro Nacional de MGF:

Em Braga decorrerá uma sessão de caráter internacional, protagonizada por figuras de grande prestígio no seio da Medicina Familiar, destinada a avaliar o que está a acontecer com a especialidade nos diversos países do espaço ibero-americano. Moderada pela médica de família portuguesa e membro da Direção da APMGF Nina Monteiro, a sessão «Medicina Familiar: o momento atual no contexto Ibero-americano» é promovida pela Confederação Ibero-americana de Medicina Familiar (CIMF) da organização mundial de associações e colégios de Medicina Geral e Familiar, a WONCA.

A mesa terá intervenções de Jacqueline Ponzo (presidente da CIMF), Daniel Knupp (presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade), Salvador Tranche (presidente da Sociedad Española de Medicina de Familia y Comunitaria – semFYC), Rui Nogueira (presidente da APMGF) e Jorge Brandão (vice-presidente da APMGF e vice-presidente ibérico da CIMF).

“A participação ibérica nesta sub-região da WONCA, a CIMF, que engloba os países latino americanos, ainda é pouco conhecida e mal valorizada pelos médicos de família portugueses. Antes de estar integrada na WONCA, a CIMF constituiu-se como um organismo próprio dedicado a promover e implementar a medicina familiar e comunitária nos países da América Latina. Por razões históricas próprias e específicas dos dois países ibéricos, acompanhámos, desde o início, a sua implementação. Isto, apesar da nossa região natural ser a Europa e estarmos integrados na WONCA Europa”, explica Jorge Brandão. De acordo com este dirigente, “com esta ligação, tem sido possível estarmos mais próximos dos colegas brasileiros e do desenvolvimento que vêm concretizando da sua medicina familiar e comunitária. Por outro lado, consideramos que tem sido muito enriquecedor acompanhar os esforços para estabelecer e consolidar a medicina familiar nos restantes países da América Latina de expressão linguística castelhana. A comunidade de interesses advém da prática comum da medicina familiar nos diversos países, com especificidades próprias que é útil e enriquecedor poder compartilhar, como vai acontecer nesta sessão. Concretizando, um dos aspetos desta possibilidade de partilha, será o convite para intercâmbios de prática clínica com médicos dos diversos países, que serão postos à disposição, particularmente, dos internos de MGF portugueses”.

MF portugueses serão muito bem-vindos no próximo congresso da CIMF

O nosso país, através da APMGF, assumiu por um mandato de dois anos a vice-presidência ibérica da CIMF, algo que segundo Jorge Brandão cria uma maior responsabilidade “quanto ao acompanhamento regular do que se vai passando no mundo da medicina familiar e comunitária dos diversos países e regiões. De realçar, a enorme diversidade de práticas inerentes às especificidades de cada região da América Latina. Assim, uma das formas de tentar concretizar a possibilidade de um maior conhecimento entre todos, será pela participação nos eventos respetivos, apesar da distância que nos separa poder constituir algum escolho. Uma próxima oportunidade para uma maior aproximação a esse conhecimento e intercâmbio, será a participação de médicos portugueses no congresso da CIMF, a realizar no México, em Tijuana, nos primeiros dias do próximo mês de maio”.

A sessão a organizar no âmbito do 36º Encontro Nacional será importante para os MF portugueses conhecerem, de facto, um pouco melhor as atividades e raio de influência da CIMF e deverá decorrer de forma muito dinâmica e interativa, na perspetiva de Jorge Brandão: “numa primeira fase, procurar-se-á responder a algumas questões de base, de conhecimento geral, a partir das quais os participantes poderão ganhar interesse e vontade em aprofundar conhecimentos, com a ideia, eventualmente, de virem a escolher realizar atividades clínicas de intercâmbio com colegas latino-americanos, de acordo com os respetivos interesses e a diversidade de oferta que se proporcionará”.



Leia Também

Fórum Médico reuniu parceiros do setor para debater dimensão das listas dos MF

SIM pede à CNCSP que reveja correspondência horária das UC

Um arranque auspicioso

Recentes

Menu