Gerais
0

Ministra admite que «cobertura universal» poderá não acontecer até ao final da legislatura

Na Assembleia da República

A meta de cobertura a 100% da população por médico de família “poderá não se conseguir realizar até ao fim da legislatura”, admitiu Marta Temido aos jornalistas após o final da última audição parlamentar em que participou, na Comissão Parlamentar de Saúde.

A ministra da Saúde sublinhou ainda que para chegar a tal meta, a curto prazo, seria imprescindível que todos os inscritos para exame final da especialidade de MGF ficassem no Serviço Nacional de Saúde e não existissem aposentações de médicos de família no ativo: “são duas circunstâncias que provavelmente não se concretizarão, mas estamos cada vez mais próximos da meta que fixámos”.

De acordo com informação da própria administração pública, ainda existem cerca de 600 mil portugueses sem médico de família atribuído.



Leia Também

Webinar sobre perturbações oftalmológicas

Projeto de investigação português entre os premiados

Marcelo pede Lei de Bases da Saúde flexível do ponto de vista organizacional

Recentes

Menu