GeraisSNS
0

Portugueses reconhecem mais-valia dos profissionais do SNS

Estudo da NOVA-IMS revela:

A qualidade dos profissionais de saúde é o ponto mais forte do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para os utentes e um dos que deve ser valorizado, segundo um estudo da Nova Information Management School (NOVA-IMS), divulgado em Lisboa esta terça-feira. O Índice de Saúde Sustentável, desenvolvido pela NOVA-IMS, inclui este ano um indicador novo, o índice de atuação preferencial, que resulta da avaliação que os utentes fazem dos determinantes da qualidade dos cuidados de saúde e da importância que atribuem a cada um deles.

Segundo o estudo, a qualidade dos profissionais de saúde merece uma avaliação de 78,3 (numa escala de 0 a 100), enquanto a facilidade de acesso aos cuidados de saúde (59 pontos) e os tempos de espera entre a marcação e a realização dos atos médicos (54 pontos) são os pontos mais negativos do SNS.

“Tentámos ainda perceber, se se fizesse investimento, de que forma poderia ser distribuído para melhorar a perceção global dos cidadãos relativamente ao SNS. Aqui, a dimensão que aparece como de atuação mais preferencial são os próprios profissionais de saúde”, explicou Pedro Simões Coelho, coordenador do estudo. O responsável afirmou ainda que a qualidade dos profissionais de saúde “é o principal ponto forte do sistema” e “é tão importante para os cidadãos que, como ainda tem margem de progressão, seria a variável em que o investimento teria maior impacto”.

Segundo o índice de atuação preferencial, que estabelece prioridades e distribui a percentagem de investimento para cada determinante, a qualidade dos profissionais de saúde têm um peso de 31%, a facilidade de acesso 27%, os tempos de espera entre a marcação e a realização dos atos médicos 17%.

O estudo determina também que o investimento no SNS em 2018 permitiu um retorno de 5,1 mil milhões para a economia, tendo em conta o impacto dos cuidados de saúde no absentismo e na produtividade. Segundo os dados do Índice de Saúde Sustentável, cerca de metade do valor investido no SNS em 2018 retornou para a economia, tendo em conta tanto os dias de ausência laboral que o SNS permitiu evitar como a produtividade destes trabalhadores.



Leia Também

Debate Dia Mundial MF 2022

Condições de trabalho, remuneração e contratação de MF têm de ser revistas

Presidente da APMGF analaisa contexto da MGF em Portugal

Presidente da APMGF analisa contexto atual da MGF no nosso país

Webinar Contratualização Diferido

Aceda ao webinar sobre a contratualização em diferido

Recentes

Menu