FormaçãoGerais
0

OM quer auditoria independente às condições de formação nos internatos

Formação pós-graduada no SNS

A Ordem dos Médicos (OM) decidiu desencadear um processo de auditoria externa e independente relativamente às capacidades formativas para a formação de novos médicos especialistas. Segundo justificou a OM em nota oficial, tal decisão está relacionada com a séria “preocupação com as condições proporcionadas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), com médicos a ficarem sem acesso a uma vaga de especialidade”.

No comunicado que difundiu no início desta semana, a OM sublinha que “perante o agravamento do desinvestimento no SNS, o preocupante desinteresse do Ministério e tendo em conta vários relatos e queixas de especialistas e de jovens médicos sobre as difíceis condições em que exercem o seu trabalho e a sua formação, a Ordem não podia esperar mais e iniciou o procedimento de concurso aberto para a contratação de uma empresa idónea e independente para realizar uma auditoria”.

Entretanto, a Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM) já veio dizer que é preciso fazer mais para salvaguardar a qualidade da formação pós-graduada. O seu presidente, Vasco Mendes, garante que é importante “dar-se um passo mais além. Ou seja, não só fazer uma auditoria das capacidades formativas, mas também fazer um planeamento prospetivo. Podemos ter muito bons diagnósticos, mas é fundamental termos tratamento para esta situação, que desde há muito temos vindo a reivindicar”.



Leia Também

Mérito científico reconhecido no 20º ENIJMF

20º ENIJMF encarou de frente os grandes desafios que se colocam aos jovens médicos

Delegação de Castelo Branco da APMGF já tem liderança eleita

Recentes

Menu