Gerais
0

Prémio António Champalimaud de Visão 2019 distingue instituições brasileiras

Mais valiosa distinção do mundo na área da visão

O Prémio António Champalimaud de Visão 2019 (em ano ímpar entregue na sua versão humanitária) foi atribuído a três entidades brasileiras com reconhecido trabalho no campo da prevenção e tratamento de patologias que afetam a visão: o Instituto de Visão – IPEPO, a Fundação Altino Ventura e o Serviço de Oftalmologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Estas organizações desenvolvem trabalho no terreno em diversas partes do território brasileiro, desde a Amazónia à grande São Paulo, passando por Pernambuco.

O prémio, no valor pecuniário de um milhão de euros, irá assim beneficiar o IPEPO, que ajudou mais de 2 milhões de pessoas com os seus serviços clínicos pioneiros, apoiados por programas de investigação e educação, a Fundação Altino Ventura (que combate a cegueira através de oftalmologia, ciência e educação de alta qualidade) e o Serviço de Oftalmologia da UNICAMP, o qual iniciou uma revolução no atendimento oftalmológico sul-americano nos anos 80, com o primeiro projeto de zona livre de cataratas do continente.

A presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza, recorda que “a pobreza causa a cegueira” em muitos locais do mundo, “a pobreza de muitos que nem sabem, às vezes, que podem ser tratados, e de outros que sabem, mas que não podem ter acesso aos médicos e hospitais com capacidade para os tratar”. Leonor Beleza não tem dúvidas de que “são muitíssimos mais hoje os cegos da pobreza do que os cegos da ciência” e que perto de 90% destas situações de cegueira motivada por falta de condições de vida e acesso a cuidados ocorrem em países em vias de desenvolvimento, facto que justifica em pleno a entrega da versão humanitária do Prémio António Champalimaud de Visão nos anos ímpares. “Este prémio reconhece o exército de mulheres e de homens que dedicam as suas vidas a garantir que podemos ver”, conclui Leonor Beleza.

Na entrega do prémio, o Presidente da República sublinhou que o mesmo “representa bem a projeção internacional da Fundação Champalimaud” e que em boa hora “quis o destino que galardoasse este ano os nossos irmãos brasileiros”. Marcelo Rebelo de Sousa, no final da sessão de entrega do Prémio António Champalimaud de Visão, agraciou a Fundação Champalimaud com as insígnias de Membro Honorário da Ordem do Mérito, assinalando que a instituição “é motivo de orgulho para Portugal e para os portugueses”.

Leia Também

Universidade do Minho organiza “Research Day”

GesPal organiza cursos sobre controlo sintomático em cuidados paliativos

Grande variedade de temas em discussão e diálogo aberto entre internos e especialistas

Recentes

Menu