Política de saúdeSNS
0

Ordens profissionais alertam primeiro-ministro para consequências da falta de proteção individual

Os bastonários das Ordens dos Médicos, Farmacêuticos e enfermeuiros (Miguel Guimarães, Ana Paula Martins e Ana Rita Cavaco) enviaram uma carta aberta ao primeiro ministro na qual descrevem os “milhares de relatos de situações muito difíceis que os nossos profissionais de saúde estão a enfrentar no terreno sem estar devidamente acautelada a proteção das suas próprias vidas, dos seus familiares e dos seus doentes”. Os dirigentes avisam António Costa de que quando for atingido o pico da pandemia não existirá nos nossos hospitais e centros de saúde “um número de profissionais de saúde suficiente, em virtude de terem adoecido. Neste momento são várias as falhas de segurança, faltando desde máscaras, a luvas, fatos de proteção e desinfetantes alcoólicos, o que é extensível à rede de farmácias”. Leia a carta aberta na íntegra.

Leia Também

Ministra garante que férias de profissionais não estão em causa

Aposta na MGF teria evitado muitos dos problemas atuais

Fórum Médico de Saúde Pública alerta para falta de condições dos especialistas de Saúde Pública numa fase crítica

Recentes

Menu