CSP dão contributo decisivo para o sucesso de Portugal no controlo da COVID-19

Dados recentes divulgados pela Direção-Geral da Saúde (visíveis no gráfico em baixo e reportando-se ao período de 14 de março a 13 de maio) revelam que a esmagadora maioria dos casos – mais de 95% – confirmados de COVID-19 estão no presente a ser acompanhados pelas equipas de cuidados de saúde primários e pelos médicos de família, facto que ilustra o importante papel que as unidades de saúde familiar e unidades de cuidados de saúde personalizados estão a desempenhar na história de sucesso portuguesa relativa ao controlo e mitigação da pandemia entre nós.

A intervenção dos CSP é por demais evidente com a grande maioria dos doentes a serem seguidos pelos médicos de família diariamente, mantendo isolamento no seu domicilio. Desde 23 de março, mais de 90% dos doentes têm evolução natural para a cura. A necessidade de internamento tem vindo a diminuir de forma mais notória desde meados de abril, ainda que número de casos ativos tenha aumentado numa base diária em Portugal até 11 de maio”, destaca o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), Rui Nogueira.

A preponderância dos CSP para a receita bem sucedida adotada no nosso país já havia sido evidenciada pelo consultor da Direção-Geral da Saúde, coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos para a COVID-19 e reputado pneumologista Filipe Froes, numa entrevista concedida à estação televisiva EuroNews.

Leia Também

Fixação de MF no Interior não se resolve apenas com incentivos

Associação reflete sobre caminhos do futuro

Cada ACeS deverá ter uma consulta multidisciplinar de atividade física

Recentes

Menu