Felisbela Lopes abordará no 37º Encontro Nacional a comunicação mediática em tempos de pandemia

A comunicóloga, professora e investigadora da Universidade do Minho (UM) Felisbela Lopes será a conferencista inaugural do 37º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar (MGF) em formato digital. A conferencista analisará a forma como os jornalistas e meios de comunicação em Portugal estão a efetivar a cobertura noticiosa da pandemia, partindo para tal de um trabalho de campo que tem vindo a desenvolver: “a comunicação que pretendo fazer incidirá sobre a cobertura jornalística da COVID-19. Explicarei, certamente, o modo como os jornalistas a têm concretizado com base num inquérito que fiz à classe profissional para procurar perceber as suas opções. Neste dito inquérito abrangemos 200 jornalistas (diretores, editores e jornalistas redatores), de muitos órgãos de comunicação social nacionais, incluindo televisões, rádios e jornais”, esclarece a docente da UM.

Felisbela Lopes é professora associada com agregação da Universidade do Minho, onde trabalha desde 1994. Entre 2009 e 2014, foi aí Pró-Reitora para a área da Comunicação. Nestes últimos 20 anos tem centrado a sua investigação académica nas áreas da informação televisiva, do jornalismo da saúde e das fontes de informação e tem desenvolvido o ensino no campo do jornalismo. É autora de vários livros, entre os quais se destacam «Marcelo, Presidente todos os dias» (Porto Editora, 2019), «Jornalista: uma profissão ameaçada» (Alêtheia, 2015), «Vinte Anos de TV Privada em Portugal» (Editora Guerra e Paz, 2012), «A TV do Real» (Minerva, 2008) e «A TV das Elites» (Campo das Letras, 2007). É comentadora residente da RTP para os temas de comunicação e colunista semanal do Jornal de Notícias.

Leia Também

Correia de Campos dá crédito à Associação pela reforma dos CSP

CSP devem desempenhar um papel central na informação e vacinação

Apresente os seus trabalhos sobre a transformação digital da Saúde

Recentes

Menu