Política de saúdeSindicatosSNS
0

Sindicatos médicos exigem ter Marta Temido à mesa das conversações

As duas estruturas sindicais médicas – Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e Federação Nacional dos Médicos (FNAM) – exigiram em comunicado o retomar do diálogo direto com Ministra da Saúde, Marta Temido. A posição foi divulgada após uma cimeira realizada entre as duas estruturas, no dia 31 de agosto. “A Sr.ª Ministra da Saúde não se reúne com os sindicatos médicos desde o início da presente legislatura. Esta atitude incompreensível é substancialmente agravada num contexto de pandemia, provavelmente o maior desafio de sempre para o SNS português”, avançam na nota os dois sindicatos.

O SIM e a FNAM consideram também que “num contexto desta natureza e quando diariamente são aplicadas medidas de claro atropelo aos direitos dos médicos e do seu acordo coletivo de trabalho, é inaceitável que a opinião dos médicos seja alienada desta forma”.

As estruturas sindicais relembram, ainda, que nos “últimos dias assistimos a uma guerra de palavras despoletada por comentários infelizes do Chefe de Governo. No rescaldo deste episódio, os Sindicatos Médicos exigem que as palavras de respeito e apreço por parte do Sr. Primeiro-Ministro tenham um reflexo concreto na modificação da atitude deste Governo para com os médicos”.

Por último, SIM e FNAM reiteram que os sindicatos médicos “apresentaram medidas concretas de capacitação do SNS e de valorização do trabalho médico e exigem a presença da Sr.ª Ministra da Saúde em próxima reunião para as discutir”.

Leia Também

Organizações médicas anteveem mais quatro anos de árdua luta pelo SNS

Cuidados intensivos teriam recebido três vezes mais doentes sem o confinamento

ACSS reconhece infeção dos profissionais de saúde pelo SARS-CoV-2 como doença profissional

Recentes

Menu