«Cidades Compassivas» atraem sociedade civil para a missão dos cuidados paliativos

As 2ªs Jornadas do GEsPal têm agendadas para o dia 6 de outubro a mesa «Cidades Compassivas», moderada por Catarina Pazes (enfermeira na Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos Beja+) e com comunicações de Elsa Mourão (médica de cuidados paliativos na comunidade e coordenadora do Projeto Amadora Compassiva), Mariana Abranches Pinto (presidente da Compassio – Associação para a Construção de Comunidades Compassivas) e Silvia Corrales Villar (médica na USF Quinta da Prata de Borba e presidente da Associação Borba Contigo Cidade Compassiva).

Esta mesa procurará dar a conhecer o movimento “Comunidades Compassivas”, o qual se baseia no conceito de consciencializar a sociedade sobre a necessidade da implicação dos cidadãos nos cuidados e acompanhamento das pessoas com doenças crónicas incapacitantes ou mesmo em fim de vida, necessidade que se tornou ainda mais óbvia na situação atual do país e do mundo. Construir comunidades compassivas é “pôr ação na empatia”. O projeto Portugal Compassivo está a começar e, por isso, não tendo ainda muito para contar o objetivo desta sessão – que pretende ser um momento de partilha do sonho e da experiência – é desinquietar mais pessoas e organizações para a construção de mais comunidades compassivas. Os projetos das três Cidades Compassivas que se darão a conhecer nesta sessão são descritos, de forma sumariada, nos vídeos que pode visualizar em baixo. Contamos consigo no dia 6 de outubro!

Leia Também

Sessão «Fígado em análise» no 20º ENIJMF

O fígado reclama atenção no 20º Encontro Nacional de Internos e Jovens MF

Entrevista Dra. Ana Luísa Pereira

Entrevista realizada na 27ª Conferência Europeia da WONCA pela colega Ana Luísa Pereira

Entrevista da Dra. Catarina Capella

Entrevista realizada na 27ª Conferência Europeia da WONCA pela colega Catarina Capella

Recentes

Menu