APMGF junta-se à campanha “Responsabilidade é o Melhor Remédio” e apela ao uso responsável dos antibióticos

Celebra-se amanhã, dia 18 de novembro, o Dia Europeu do Antibiótico, data em que a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) se volta a juntar à campanha de sensibilização nacional “Responsabilidade é o Melhor Remédio”, uma iniciativa que tem como principal objetivo sensibilizar médicos, farmacêuticos e população em geral para a importância da utilização responsável do antibiótico e que, desde a sua criação, já fez chegar milhares de materiais informativos às farmácias e centros de saúde de todo o país.

Campanhas como esta são fundamentais, já que continuamos a viver num contexto em que infeções teoricamente simples de tratar podem originar índices de mortalidade elevados, devido ao fenómeno da resistência aos antibióticos. “Todos os anos morrem 700 mil pessoas devido à resistência aos antibióticos e o cenário pode complicar-se ainda mais no futuro, tal como mostram as previsões realistas e assustadoras da Organização Mundial de Saúde, que nos diz que se o consumo de antibióticos se mantiver nos números atuais a resistência aos mesmos, e consequente falha no tratamento, vai ser responsável pela morte de 10 milhões de pessoas até 2050”, alerta Eurico Silva, membro do Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias da APMGF.

“Importa ainda relembrar que, anualmente, morrem mais pessoas em Portugal devido a infeções associadas aos cuidados de saúde – falamos de bactérias resistentes – do que por acidentes de viação. O assunto é sério e muito preocupante e está na hora de fazermos alguma coisa para reverter esta situação. É tempo de sermos conscientes e alertar o familiar, o amigo ou o conhecido para este problema e tentar evitar o consumo de antibióticos de forma frequente e desnecessária porque, mais uma vez, relembramos que os antibióticos não são eficazes nas infeções causadas por vírus, situações onde costumam ser recorrentemente utilizados”, conclui Eurico Silva. É importante recordar que vários artigos e meta-análises, publicados em jornais científicos de referência internacional (como o JAMA ou o Canadian Family Physician) atestam que 80% das dores de garganta são causadas por vírus, em relação aos quais os antibióticos não têm eficácia terapêutica.

Leia Também

APMGF alerta poder político para risco de exclusão dos MF

Intervenção de Rui Nogueira na Assembleia da República a propósito da descentralização

Fixação de MF no Interior não se resolve apenas com incentivos

Recentes

Menu