Encontro de MGF do Alto Minho reúne quase duas centenas de profissionais em Viana do Castelo

Nos passados dias 18 e 19 de novembro teve lugar no Auditório Professor Lima de Carvalho, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, o 21º Encontro de Medicina Geral e Familiar (MGF) do Alto Minho, organizado pela Delegação Distrital de Viana do Castelo da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), com a colaboração dos Centros de Saúde de Viana do Castelo, Darque e Barroselas, a Direção de Internato Ricardo Jorge e o Núcleo de Internos Ricardo Jorge. Este 21º Encontro de MGF do Alto Minho teve um total de 175 inscritos, tendo sido submetidos mais de 70 trabalhos científicos.

Os participantes tiveram a oportunidade de assistir e partilhar conhecimentos de diversas áreas chave da MGF. Temas como exame físico musculoesquelético, fisiatria, otoscopia, abordagem à tuberculose, contraceção intrauterina e alimentação infantil dos 0 aos 12 meses, foram desenvolvidos em workshops, permitindo a atualização na prática clínica destas áreas de internos e especialistas em MGF. Por sua vez, tópicos como a comunicação em saúde, a doença mental e a gestão e capacitação do utente com risco cardiovascular elevado foram assuntos debatidos e que realçaram a importância da abordagem centrada no utente para a melhoria da prestação de cuidados de saúde.

Para Sofia Azevedo, delegada distrital da APMGF em Viana do Castelo, o 21º Encontro do Alto Minho veio quebrar um acentuado isolamento entre pares naquela região do país e numa altura em que o contacto profissional é preponderante: “ao fim de praticamente dois anos sem nenhum momento em que fosse possível aos representantes da MGF do Alto Minho se reencontrarem – e com cada um a tentar dar conta das diversas tarefas que lhe têm sido atribuídas – foi muito bom este regresso e percebermos que para além da pandemia existem muito mais coisas para as quais temos de olhar, que não podemos descurar outras patologias”. Ainda de acordo com Sofia Azevedo, os participantes do Encontro acabaram por interiorizar que “o sentimento de dificuldade em lidar com as responsabilidades crescentes, a pressão e o desgaste são comuns”, na medida em que todos se sentem esmagados por um quotidiano em que se atropelam atividades de vigilância e consulta regulares, serviços na área de doentes respiratórios, acompanhamento de doentes com Covid-19, vacinação, etc. “Foi excelente fazer uma pausa na nossa rotina, que atualmente é bastante avassaladora e absorvente”, acrescenta a delegada distrital da APMGF, para quem se torna urgente “reorganizar e repensar o que todos queremos para a prestação de cuidados de saúde primários, redefinir as tarefas dos MF, porque neste ritmo vai ser muito complicado continuar a trabalhar com qualidade”.

Este evento realçou a defesa da qualidade do exercício da MGF no Norte do País, elevando a importância da continuação da existência destas oportunidades para discussão de conteúdos, partilha de experiências, apresentação de trabalhos científicos e estabelecimento de networks, que são essenciais à evolução otimizada dos cuidados de saúde primários. Neste sentido, a Delegação Distrital de Viana do Castelo da APMGF já está a preparar, para 2022, o 22º Encontro de MGF do Alto Minho!

Leia Também

OM coloca as suas propostas em consulta e discussão pública

António Arnaut recebe o título de doutor “honoris causa”

Ana Sofia Baptista conclui doutoramento com tese sobre impacto de auxiliares de decisão no rastreio do cancro da próstata

Recentes

Menu