Vacinómetro mostra que mais de 80% das pessoas acima dos 65 anos de idade já terão sido vacinadas contra a gripe

Os dados da terceira vaga do relatório Vacinómetro (estudo que monitoriza a vacinação contra a gripe durante a época gripal através de questionários) revelam que, da população incluída nas recomendações da Direção-Geral da Saúde, já terão sido vacinados contra a gripe sazonal desde o início da época 2021/2022 83,9% dos indivíduos com 65 ou mais anos de idade e 73,3% dos indivíduos portadores de doença crónica – uma subida de 13,8 pontos percentuais em comparação com o período homólogo de 2020/2021. Por outro lado, 64,2% dos profissionais de saúde em contacto direto com doentes também já foram imunizados – um acréscimo de 3,2 pontos percentuais em comparação com o período homólogo de 2020/ 2021. Realce, ainda, para o facto de 38,7% dos portugueses com idades compreendidas entre os 60 e os 64 anos já terem recebido a vacina – uma subida de 0,9 pontos percentuais em comparação com o período homólogo do ano anterior.

Na análise realizada destaca-se também a proteção das mulheres grávidas com uma cobertura vacinal de cerca de 59,9%, que representa uma subida de 14,8 pontos percentuais em comparação com o período homólogo de 2020/2021. A 3ª vaga do Vacinómetro inclui os dados recolhidos de 14 a 20 de dezembro, correspondente à 9ª semana após o início da 2ª fase de vacinação, à semelhança da análise realizada durante o período homólogo de 2020/2021. No total da amostra, é possível também aferir que 50,3% da população em análise já terá sido vacinada, um acréscimo de 14,4 pontos percentuais em comparação com os resultados de 23 de novembro de 2021 (35,9%).

Este ano, através da monitorização realizada à população entre os 18 e os 59 anos de idade, foi também apurado que 9,9% deste universo já terá sido vacinado (um aumento de 0,7 pontos percentuais em comparação com a 2ª vaga do Vacinómetro). Para esta análise, estão excluídos os indivíduos pertencentes ao grupo de doentes crónicos, profissionais de saúde e mulheres grávidas. Entre o grupo de indivíduos vacinados na amostra total estudada, os principais motivos alegados para a imunização foram a recomendação do médico (51%), a realização de campanha de vacinação no contexto de uma iniciativa laboral (21,4%) e a iniciativa própria, em busca da devida proteção (21,6%). Os resultados sugerem ainda que 19,3% da amostra total não vacinada tenciona vacinar-se num futuro próximo.

Pelo 13.º ano consecutivo, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), com o apoio da Sanofi Pasteur, apresentam os resultados do projeto Vacinómetro. Lançado em 2009, o Vacinómetro permite monitorizar em tempo real a taxa de cobertura da vacinação contra a gripe em grupos prioritários recomendados pela Direção-Geral da Saúde.

Leia Também

Paulo Santos – “Desejamos ter uma Revista que seja um marco importante na produção científica da MGF a nível europeu e mundial”

O padrão de qualidade das USF tem de ser universalizado

OMS estimula embalagens de cigarros mais “elucidativas”

Recentes

Menu