Vacinação e infeções respiratórias do Outono/Inverno vão agravar pressão sobre os recursos humanos do SNS

A Direção-Geral da Saúde (DGS) lançou um alerta sobre as possíveis dificuldades que poderão vir a surgir no período de Outono/Inverno que se aproxima com carência de recursos humanos em algumas áreas do território. Isto face ao incremento das infeções respiratórias e ao arranque da campanha de vacinação combinada contra a gripe sazonal e Covid-19, agendado para o dia 5 de setembro, que reativará 84 centros de vacinação e fará descolar muitos médicos e enfermeiros, sobretudo dos cuidados de saúde primários. A DGS sublinha que nos próximos meses “é expectável um aumento da indisponibilidade dos recursos humanos” e sugere ao governo que para evitar a rutura dos serviços considere “o recrutamento de recursos humanos” e uma aposta na melhoria “das condições de trabalho dos profissionais”. As preocupações da DGS surgem expressas num documento em que esta traça as linhas orientadoras para a Covid-19 e outras infeções respiratórias durante o Outono/Inverno 2022-2023.

A este respeito, o vice-presidente da APMGF, António Luz Pereira, garantiu em declarações à TVI/CNN Portugal que a enorme pressão neste novo contexto, que tudo indica se concretizará num futuro próximo, trará um impacto indesejável sobre os utentes: “cada dia que passamos no centro de vacinação é um dia em que não avaliamos doentes respiratórios, em que não fazemos a consulta habitual para os nossos utentes e em que os nossos colegas que estão no centro de saúde são mais sobrecarregados pela nossa ausência”.

 

Leia Também

Mudança nas Políticas de Saúde

APMGF defende que com ou sem Direção Executiva do SNS é inadiável uma mudança de fundo nas políticas de Saúde

Fernando Araújo escolhido como diretor executivo do SNS

Cristina Galvão – “Este doutoramento surge como um desafio que coloquei a mim mesma”

Recentes

Menu