Liderança de continuidade na APMGF com vontade de fazer crescer ainda mais a Associação e a Medicina Familiar

A candidatura «Crescer APMGF: O Futuro da Medicina Geral e Familiar nas nossas Mãos!» venceu as eleições para os órgãos sociais nacionais da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) referentes ao triénio 2024/2026, realizadas hoje (25 de novembro). A lista única que se apresentou a sufrágio arrecadou 191 votos a favor, cinco contra, dois brancos e três nulos para a eleição da Direção Nacional, 190 votos a favor, cinco contra, três brancos e três nulos para Assembleia-Geral e 190 votos a favor, quatro contra, quatro brancos e três nulos para o Conselho Fiscal.

Assim, nos próximos três anos a Direção Nacional será constituída por Nuno Jacinto (presidente), António Luz Pereira (vice-presidente), Susete Simões (vice-presidente), Mário Santos (vice-presidente), Nina Monteiro (secretário), Gil Correia Lopes (tesoureiro), Maria Conceição Outeirinho (vogal), Denise Alexandra Velho (vogal), Vera Pires da Silva (vogal), André Reis (suplente), Carlos Mestre (suplente), Carina Ferreira (suplente), Joana Romeira Torres (suplente), Luís Monteiro (suplente), Madalena Leite Rio (suplente) e Inês Ribeiro de Castro (suplente). A Assembleia-Geral contará com José Mendes Nunes (presidente), Rubina Correia Pinto (primeiro-secretário), Nuno Basílio (segundo-secretário), José Pedro Antunes (suplente) e Ana Macedo Sardinha (suplente). Já o Conselho Fiscal será presidido por Ana Luís Pereira, coadjuvada por Edgar Vaz (primeiro-secretário), Miguel Ornelas Azevedo (segundo-secretário), Catarina Diogo Bica (suplente) e Ana Margarida Cruz (suplente).

“Sentimos um ânimo renovado e a absoluta confiança dos sócios, o que é muito bom para nós. Este é um projeto de continuidade relativamente ao que temos feito, com uma aposta forte em continuar a desenvolver a Associação, fazê-la crescer ainda mais. Tal como desde o início do anterior mandato, a nossa missão passa sobretudo por sermos a voz de todos os médicos de família junto de quem tutela a saúde em Portugal e tem capacidade de intervenção, sem nos esquecermos de pugnar sempre pelo desenvolvimento técnico-científico da nossa especialidade”, explica Nuno Jacinto. O reeleito presidente da APMGF acredita que os próximos anos serão marcados por “eventos mais adequados à realidade nacional, um número crescente de iniciativas inovadoras e uma capacidade reforçada da Associação em intervir em áreas chave, capacidade essa alicerçada naquilo que foi o projeto «Um novo futuro para MGF», que permanece a linha orientadora da nossa atuação. Ou seja, a nossa ideia é a de conservar esta lógica de integrar todos os colegas, dar voz a todos os quadrantes, ter uma Associação participada e muito dinâmica, que quer do ponto vista sócio-profissional, quer técnico-científico, se mantém a grande referência da MGF no nosso país”,

De realçar que na mesma Assembleia Geral foram escolhidos os órgãos dirigentes da Delegação Regional dos Açores e da Delegação Distrital de Évora da APMGF. No arquipélago a representação associativa será liderada por Tatiana Nunes (delegada), que conta na sua equipa com Vanessa Goulart Amaral (vogal), Isabel Sousa Martins (vogal), André Filipe Amaral (suplente), Sara Oliveira Trigo (suplente) e Maria Teresa Albergaria Silva (suplente). Em Évora, a delegada distrital da APMGF será Maria Helena Gonçalves, as vogais Helena Chantre e Solange Gomes e os suplentes João Guerra Marques e David Rodrigues.

 

Leia Também

Os workshops do 41º Encontro Nacional podem fazer a diferença na sua eficácia clínica!

Grupo de Estudos de Medicina Centrada na Pessoa promove workshop que o ajudará a lidar com doentes difíceis

O Departamento de Investigação da APMGF promove mais uma reunião aberta no dia 21 de fevereiro!

Recentes