António Luz Pereira realiza doutoramento com trabalho dedicado aos efeitos da contratualização no desempenho das unidades dos CSP

Concluiu hoje (7 de dezembro) prova de doutoramento em Investigação Clínica e Serviços de Saúde o especialista em Medicina Geral e Familiar (MGF) António Luz Pereira, assistente graduado e coordenador da Unidade de Saúde Familiar (USF) Prelada e investigador no CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, integrado no Grupo Secondary Data for Healthcare Research (Dados Secundários para Investigação em Cuidados de Saúde). A prova decorreu na aula magna da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e esteve centrada na discussão da tese «The role of primary healthcare commissioning in the performance of primary healthcare units and healthcare equity in Portugal», que investiga o impacto da contratualização no desempenho das unidades de cuidados de saúde primários (CSP) em Portugal e a equidade na prestação desses cuidados. A análise incide sobre as diferenças no desempenho das unidades, quando analisados indicadores contratualizados e indicadores não contratualizados e a relação entre fatores socioeconómicos e os resultados desses indicadores.

O júri da prova foi presidido por Cristina da Costa Pereira (FMUP) e teve nas funções de arguente Bruno Heleno (NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa), Inês Rosendo (Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra) e Pedro Vargues de Aguiar (Escola Nacional de Saúde Pública). Participaram também como elementos do júri André Biscaia (especialista em MGF na USF Marginal e presidente da Associação Nacional de Unidades de Saúde Familiar, USF-AN) e João Vasco Nunes dos Santos (FMUP). O orientador da tese foi André Biscaia e os coorientadores José Alberto Freitas (FMUP) e Alberto Pinto Hespanhol (FMUP).

Segundo António Luz Pereira, a tese de doutoramento teve como objetivo principal “esclarecer o impacto da contratualização na performance das unidades de CSP em Portugal. Em Portugal, os CSP ganharam um novo impulso com a reforma implementada em 2005, nomeadamente com a criação das USF e o desenvolvimento do processo de contratualização de serviços em CSP. Os indicadores da saúde mostram uma evolução positiva nas últimas décadas, com taxas de internamento hospitalar evitáveis, taxa de mortalidade padronizada por causas evitáveis e taxa de mortalidade por causa tratáveis, abaixo da média da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), tendo-se também verificado aumentos na esperança média de vida. A compreensão desta dinâmica é crucial para informar políticas de saúde e otimizar a equidade no acesso aos cuidados de saúde”.

O novo doutorado com origem na MGF assegura que a escolha por esta temática para enquadrar um passo tão importante na sua carreira académica e profissional tem um propósito construtivo: “foi motivada pela minha paixão em contribuir para melhorias tangíveis no sistema de saúde. Acredito que este doutoramento irá aprimorar a minha capacidade de influenciar positivamente as políticas de saúde e as práticas clínicas. Espero que este trabalho acrescente não apenas ao corpo de conhecimento existente, mas também tenha um impacto significativo na melhoria da prestação de cuidados, na satisfação de profissionais e utentes e na promoção da equidade nos cuidados de saúde”.

Leia Também

Descobrir a MGF no setor privado através de histórias pessoais

O Departamento de Investigação da APMGF promove mais uma reunião aberta no dia 21 de fevereiro!

O panorama internacional da MGF e a 25ª Conferência Mundial da WONCA exigem a sua atenção em Albufeira

Recentes