Desprescrição deve ser encarada com ferramenta indispensável para atingir clínica mais segura e eficaz

Na manhã de 6 de abril, o 41º Encontro Nacional da APMGF propõe-lhe a mesa «Desprescrição e prescrição racional», moderada por Carina Peixoto Ferreira (membro da Direção da APMGF e médica de família na UCSP Vieira do Minho) e com comunicações de Luís Monteiro (investigador do CINTESIS – Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, professor no Departamento de Ciências Médicas da Universidade de Aveiro e médico de família na USF Esgueira+) e de Pedro Augusto Simões (médico de família na UCSP Fundão e docente da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior).

O envelhecimento da população é uma tendência que se verifica desde há várias décadas, em Portugal como na Europa. Com o envelhecimento populacional e o aumento da prevalência de doenças crónicas nesta faixa etária, tem crescido o número de idosos que se apresentam num regime terapêutico de polifarmácia. Tendo em consideração as consequências que podem advir destes regimes, é essencial compreender como tornar as práticas de prescrição e desprescrição mais seguras e eficazes. Os objetivos desta sessão passam por promover um maior conhecimento acerca desta temática – de forma prática e interativa e através da discussão de casos clínicos – identificar os fatores que interferem na prescrição farmacológica, analisar os principais instrumentos que auxiliam o processo de prescrição/desprescrição e reconhecer os processos e obstáculos da otimização terapêutica no idoso.

Segundo Pedro Simões, “é crucial debater sobre desprescrição e prescrição racional para garantir uma prática médica mais segura e eficaz. Ao debater este tema promove-se a revisão criteriosa dos medicamentos dos utentes, de forma a reduzir os riscos de efeitos adversos e polifarmácia. É fundamental a individualização terapêutica e envolvimento do utente”.

Leia Também

APMGF defende no parlamento que médico assistente jamais pode ser sinónimo de médico de família

Mónica Granja conclui provas de doutoramento com tese centrada no acesso aos médicos de família durante a pandemia

Inscreva-se no Curso de Especialização «Cuidados Paliativos em Cuidados de Saúde Primários»

Recentes