Recomendações GRESP para a vacinação anti-pneumocócica

A infeção por Streptococcus pneumoniae (S. pneumoniae) é uma causa importante de morbilidade e mortalidade sendo responsável, segundo a OMS, por aproximadamente 1.6 milhões de mortes por ano em todo o mundo, constituindo globalmente a principal causa de morte prevenível através da vacinação.

A infeção por este microrganismo pode provocar um largo espectro de patologias, geralmente classificadas em doença não invasiva (otite média aguda, sinusite) ou doença invasiva pneumocócica (DIP – pneumonia acompanhada de bacteriemia, meningite, septicémia). A DIP é definida pelo isolamento do S. pneumoniae no sangue, líquido céfalo-raquidiano, líquido pleural ou peritoneal, ou noutro local do organismo habitualmente estéril.

Nos países industrializados, a incidência anual de DIP varia entre 8 e 34 casos por 100.000 habitantes, sendo mais elevada no grupo etário abaixo dos 2 anos de idade e nos adultos com idade ≥ 50 anos.

Face à severidade das consequências provocadas pelo S. pneumoniae, torna-se fundamental saber quando e como vacinar. Num esforço de sistematização importante, o Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias da APMGF, o GRESP, desenvolveu as “Recomendações GRESP para a vacinação anti-pneumocócica – A doença pneumocócica e recomendações GRESP para a vacinação anti-pneumocócica na população adulta (≥18 anos)”.

Aceda aqui ao documento.

Related Articles

Nenhum resultado encontrado.

Menu