Obesidade

Em Portugal, cerca de 22,3% da população adulta é obesa, com maior prevalência da população idosa (39.2%). (IAN-AF, 2015-2016) A avaliação do doente deve ser global, incluindo a avaliação dos parâmetros antropométricos e traduz uma oportunidade única para a sustentabilidade de medidas preventivas relativas à obesidade. A avaliação do peso com consequente cálculo do índice de massa corporal e a medição do perímetro abdominal permite que o médico de família possa abordar o tema de excesso de peso/obesidade integrado na consulta. Essa janela de oportunidade permite que, mesmo durante a consulta, se consiga avaliar a motivação do doente para a perda de peso. Um dos fatores essenciais no sucesso terapêutico é a determinação dos ganhos em saúde caso o doente perca peso e os riscos inerentes à manutenção da obesidade e essa avaliação deve ser sempre abordada na consulta. O pensamento reflexivo deve estar sempre presente e o doente deverá ser parte integrante no seu processo de melhoria em saúde. Só assim, se conseguirá objetivamente a perda ponderal necessária para que o doente evolua para um peso adequado. A abordagem ao doente com obesidade deve basear-se no reforço de literacia em saúde, no contexto alimentar e de atividade física e, caso não seja suficiente, o médico de família deve utilizar as armas terapêuticas disponíveis. Cada doente tem as suas características pelo que o fármaco deve ser escolhido consoante as necessidades e preferências do doente, de modo a permitir uma melhor adesão. Tal permite que o doente tenha uma participação ativa no seu tratamento e seja corresponsável pelo sucesso da perda de peso. A obesidade é uma doença crónica e o seu tratamento é um desafio em todos os níveis de atuação. Mas a adopção de estilos de vida é essencial e a relação médico-doente é fundamental para que o doente deixe de ser um doente com obesidade e passe a ser saudável.

Comissão Coordenadora

• Ana Correia de Oliveira

• Manuel Rodrigues Pereira

• Mara Marques

Colaboradores

• Anabela Carvalho Rodrigues

• Inês Rosendo

• Luísa Sá

Objetivos

• Representar a APMGF, sempre que solicitado, em eventos ou reuniões relacionadas com Obesidade;

• Desenvolver programas de formação e projetos de investigação sobre Obesidade;

• Colaborar com outras instituições, em iniciativas de investigação e/ou formação de Médicos no âmbito da Obesidade.

 

Notícias

Vídeos

Menu